sexta-feira, 1 de abril de 2011

Assim como a palmeira se rende ao vento...

Que eu me renda ao sopro do Teu  Santo Espírito



Cresci no litoral, vendo o mover das águas e do vento... e as palmeiras especialmente me chamavam a atenção (aquelas eram coqueiros). Tão grandes, com aqueles cocos pendurados lá em cima (eu era pequena, elas se tornavam maiores ainda), eram tão seguras de si... Lindo quando o vento soprava, balançavam como se cantassem e aplaudissem a criação...

Que analogia linda dá pra se fazer com a nossa caminhada cristã...

As palmeiras confiam no vento, se deixam levar por ele! Só nos deixamos levar por quem confiamos. Temos confiado inteiramente em Deus? 
Que nós nos deixemos levar pelo sopro do Espírito Santo de Deus, que vai moldando a nossa forma, levando-nos aos pés do Senhor, rendidas e rendidos aos pés do nosso Deus.

Na confiança as palmeiras se tornam flexíveis, não enrijecendo sua estrutura, pelo contrário, enquanto vão crescendo vão deixando que o vento lhes mostre a direção. E mesmo depois de crescidas, quando bate o vento elas vão de um lado pro outro... Deixar que Deus nos mostre o caminho, nos direcione para que lado devemos seguir, não endureçamos nosso coração frente a voz do Senhor!

E nesta dependência e entrega algo maravilhoso acontece... quando venta muito e a chuva está forte, a palmeira canta... sim, ela canta ... com suas folhas aplaudindo a criação... Louvai ao Senhor Criador. O canto da criação se dá mais forte nas circunstâncias que aos nossos olhos são as mais difíceis, no meio da tempestade. Louvemos ao Senhor a todo tempo, em qualquer circunstância, e de forma muito especial em meio às tribulações. Em tudo dai graças!

Que o Senhor nos abençoe, e que o sopro do Santo Espírito dos leve para onde Ele quiser!

com carinho...
Postar um comentário